Follow by Email

sexta-feira, 30 de maio de 2014


NOSSA INDEPENDENCIA É A MORTE


SER DO MEDO SEU ETERNO REFEM
SEM TER O QUE PERDER?
A OPORTUNIDADE FAZ O LADRÃO
A ELEIÇÃO ESCOLHE E CORROMPE

QUEM TE REPRESENTA?
O QUE FEZ POR MERECER?
DEU UM EMPREGO E CORROMPEU VOCÊ
MATOU A ESPERANÇA DE QUEM AINDA NÃO NASCEU

A MORTE RONDA SEM A FOICE
ELA ATIRA E TIRA A VIDA
SEM NADA A TEMER CRESCE O CRIME
QUAL FOI O CRIME QUE VOCÊ COMETEU?

ELEGEU O RATO PRA CUIDAR DO QUEIJO
RECEBEU PRESENTE E MATOU TANTA GENTE
FEZ DA NAÇÃO UMA AGREMIAÇÃO
PARTIDOS SE MANCUMUNAM PARA TE ENGANAR

RECEBER O ILICITO E SE ACHAR POR CIMA
CLIMA DE MORTE
FACÇÃO QUE GOVERNA
POR ONDE OLHAR O MEDO ESTA

PRESIDIOS LOTADOS
ESCOLAS SEM REGRAS
A VERGONHA IMPERA
NINGUEM SABE DE NADA

QUANDO A MORTE ESTA TÃO PRESENTE
AS DROGAS ENCAMINHAM OS CORPOS
O CRAQUE FORMAM OS ZUMBIS

UM BIG BROTHER?
UM THE WALKING DEAD?
UMA NAÇÃO SEM RUMO
VIDAS A DERIVA

MORRE-SE POR NADA
POR NADA É MORRER
TER VERGONHA DO QUE?
O QUE SE PODE FAZER

UM CARCERE BRASIL
TUDO CAUSA UM QUEBRA- QUEBRA.
VAMOS QUEIMAR UM INDIO
VAMOS QUEIMAR UM ONIBUS

AS LEIS SÃO PIADAS
QUEM PAGA É QUEM NÃO FEZ NADA
HIPOCRISIA SE APRENDE EM CASA
SOCIEDADE CORROMPIDA

PROFESSORES EM GREVE
MEDICOS EM GREVE
É GRAVE A DOENÇA
UM CÂNCER SOCIAL

QUEM FERE A EDUCAÇÃO
MATA A SAUDE E A NAÇÃO
QUEM PILHA É COVARDE
UM CÂNCER DESTA NAÇÃO

PASSA UM PASSA MUITOS
TODOS CONTAMINANDO A NAÇÃO
FAZ UM PACTO DO MEDO
DIZENDO SER A SOLUÇÃO

CRIANÇAS MORREM SEM DESTINO
BOLSAS ALIMENTAM A PREGUIÇA
COMPRANDO COM MENTIRAS
COMPROMETENDO O FUTURO

JUMENTUDE CRIADA
NÃO EXISTE MAIS NADA
O MEDO CORROMPE
SOMOS TODOS CORROMPIDOS

UM VOTO SOMENTE É PRECISO
PRA MUDAR A NAÇÃO
MAS SE FOR CORROMPIDO
CRESCE O CANCER E MATA A NAÇÃO

VAGAREMOS NO ESGOTO
NÃO EXISTE A SAIDA
SOCIEDADE FERIDA
CORROMPIDA E COM MEDO

SER O SILENCIO O MEDO
A MORTE QUE ABRAÇA
O CRIME EXECUTA
A JUSTIÇA LIBERTA

OU SEREMOS O CRIME
OU SEREMOS A JUSTIÇA
OU SEREMOS MAIS UM
OU SEREMOS UM TODO

DEVEMOS VOTAR EM PARTIDOS
DEVEMOS TER UMA NAÇÃO
DEVEMOS TER O BRASIL
EM NOSSO CORAÇÃO
NÃO EXISTE UM OU OUTRO
NÃO EXISTIR AS FACÇÕES POLITICAS
EXISTIR UM REPRESENTANTE
FAZER DA FORÇA DA JUSTIÇA A ESPADA

MORTE QUEM ROUBA A ESPERANÇA
A NOSSA CURA DESTE CÂNCER
A ÉTICATERAPIA
O FUTURO ESTA NA EDUCAÇÃO




HELIO RAMOS DE OLIVEIRA

www.educarhelio.blogspot.com

DIGNIDADE É CONHECIMENTO? - MINHA PRATICA EM SALA DE AULA
Competência leitora e escritora em aulas de ciências


Assim iniciei minha aula em uma tarde fria do mês de Maio de 2014, estávamos todos com frio...
Os alunos do 6º ano que buscam um lugar longe das janelas que ficam viradas para uma avenida movimentada e barulhenta, mais não eram por esse motivo que se movimentavam dentro da sala de aula eles buscavam locais para ficarem longe do vento frio que adentra pelos vãos da janela que não tem os vidros por estarem quebrados.
Iniciei a aula deste dia perguntando para todos, sobre qual seria o significado da palavra: Dignidade.

Significado de Dignidade:
1.     s.f. Característica ou particularidade de quem é digno; atributo moral que incita respeito; autoridade.
2.     Maneira de se comportar que incita respeito; majestade.
3.     Atributo do que é grande; nobre.
4.     Ofício, trabalho ou cargo de alta graduação: dignidade de juiz.
5.     Ação de respeitar os próprios valores; amor-próprio ou decência.

Após a busca no dicionário separamos as identificadas em números a de numero que menciona os seguintes dizeres: 1.s.f. Característica ou particularidade de quem é digna; atributo moral que incita respeito; autoridade. E a de numero 5.Ação de respeitar os próprios valores; amor-próprio ou decência. A partir de então foi proposto aos alunos se eles estariam sendo contemplados com a dignidade esperada pela sociedade a qual ele pertence.

As primeiras afirmativas foram:

Por que os próprios alunos quebraram os vidros?
Por que não fizeram a escola do lado da rua mais tranquila?
Por que a escola não puniu quem destrói a escola?
Por que os professores não reclamam destas condições?
Por que não tem um guarda na escola?
Se a escola é nossa por que deixamos destruir?
E por ai seguiu...
Nenhuma conclusão foi possível e ficamos “INDIGNADOS”, e em seguida com um sentimento de IMPOTENCIA. Fomos buscar o significado desta palavra:

Significado de Impotência
s.f. Falta de poder, de força; Qualidade de impotente.
Impossibilidade física ou moral.

E então, descobrimos muitos significados para nossos sentimentos, mesmo sendo estes significados uma afronta a nossa dignidade em ser brasileiro.
Conhecendo os significados, foi possível a condução a um novo pensar, de forma relevante e clara, sobre as agruras enfrentadas por nossa sociedade e em especialmente nossa juventude que se depara com as piores formas de condução que a sociedade analfabeta de seus direitos impõe as crianças e jovens, formando adultos em um cárcere.
Neste dia muitos pensamentos vieram a tona, muitas certezas e incertezas foram expostas, foi possível ver que a dignidade esta em conhecer por que é conhecendo que as pessoas se tornem ainda mais dignas de seu destino e que a liberdade sempre estará dentro da sua cabeça.
Terminamos a aula e uma pregunta ecoava...
Por que a educação é tratada sem nenhuma dignidade para seus entes?


Prof. Hélio Ramos de Oliveira


www.educarhelio.blogspot.com 

quarta-feira, 21 de maio de 2014


Minha pratica – Protagonismo Juvenil VS Escola arcaica
Ensino Médio

Hoje, estiveram em uma orientação técnica alguns professores de Biologia na DRE – Diadema.
“Revisando o currículo de biologia com ênfase no protagonismo juvenil. e apresentação da plataforma do currículo como recurso pedagógico.”
Foi de grande valia as orientações dadas pelos Professores Coordenadores do Núcleo Pedagógico – PCNPs assistimos dois vídeos que revigoraram o prazer de exercer a função de professor ao saber que na essência estamos no caminho certo, os recursos existentes no mundo também contemplam nossos anseios de formadores de uma sociedade apta e capacitada no conhecimento desta ciência “Biologia”.
No entanto, sempre estamos de frente a um gigantesco obstáculo chamado “escola”. E escola, não tem capacidade para sua inovação devido ao engessamento que é imposto aos seus gestores.
A Proposta Curricular adotada pela Secretaria da Educação do estado de São Paulo foi elaborada para uma escola que não existe fisicamente, pois a escola que temos foi construída apenas para abrigar pessoas.
Os prédios que abrigam a escola, não foram pensadas para atender os pré-requisitos de uma ESCOLA, que é um ambiente de formação do cidadão, elas simplesmente foram construídas.
O currículo que vislumbra os protagonismos e a aprendizagem em espiral não tem espaço para germinar nas escolas que temos em sua grande maioria, este é um gigantesco obstáculo que estagna o aperfeiçoamento dos espaços escolares e consequentemente o desenvolvimento profissional dos professores da área de biologia.
É esperado o desenvolvimento das competências e habilidades em um mundo globalizado, nossa escola arcaica, envelhecida e caquética onde ainda se risca pedras em um quadro.
Colocamos nossa juventude como refém da falta de perspectivas de melhorias da escola, que sabemos que não vão acontecer enquanto houver este pensamento retrogrado que a politica faz da educação.
Ficamos felizes quando conseguimos desenvolver um ínfimo ensaio: Colocar água oxigenada em um pedaço de fígado e ver o que ocorre.
Ao chegar à escola e saber que planejar a aula é mentir pra si mesmo, pois a conquista deste professor acontecerá por seu querer, não pelas condições favoráveis da escola em si.
Receber informações de utilização das novas tecnologias de informação como aliadas ao aprender que vem junto com a realidade de os computadores do “ACESSA SP” nunca funcionam ou são insuficientes e as escolas não investem em lousas digitais que facilitaria o entendimento do mundo contemporâneo que tem pressa e necessita de indivíduos hábeis para utilizar a favor do desenvolvimento humano.
Como podemos desenvolver protagonismo juvenil se estamos na era da pedra lascada “GIZ”.
A falta de autonomia faz da escola, apenas um abrigo para nossos jovens e uma masmorra para os professores, que adoecem por ter a sensação de estarem sempre amarrados.
A escola possui um aspecto decadente, mobiliário de péssima qualidade, tudo é precário e destruído, não possui um tutor do prédio que busque as adequações para humanização deste ambiente.
Aceitamos a afirmação “ É Dificil! ”, e com essa afirmação tudo deixa de ser resolvido, a dó prevalece.
Recebemos os jovens em um ambiente autoritário e queremos deles a autonomia.
Hoje vi nobres colegas de profissão com seus olhares perdidos, e mesmo assim ainda ficamos felizes pelo espaço para a troca de ideias, mais pra mim, foi possível perceber que o problema não esta nem no aluno, nem no professor o obstáculo esta na falta de autonomia dos gestores.
Um exemplo: muitas escolas transformaram seus laboratórios em salas multiuso, é assim que a escola resolve seus problemas.
OBS: este problema acontece por ser um prédio ocupado pela escola.
Sou pessimista quanto à melhoria, mais hoje percebi que não estou sozinho.
A escola de hoje, não possui dono, é uma terra de ninguém, tudo pode nada tem, sem caráter nem ambição é uma escola só.
Hoje descobri que nossa capital nasceu em um colégio e nossa nação matou a educação.
Esta é minha opinião


Nunca desistirei de respirar mais o ar esta rarefeito

Helio Ramos de Oliveira

www.educarhelio.blogspot.com

segunda-feira, 19 de maio de 2014


Sem limite é o sonho do sonha a dor...
Sem limitar-se ao sonho ele sonha
Voar é o sonho que sonha o sonhador...
Só existe a saída sem volta ou destino
O sonho realiza o menino
Ler a poesia
Escrever sem limite
Pé no chão tem as árvores que semeiam ao vento
Ter as asas em movimento é viver
Ser o louco sonhador ser na vida um autor
Protagonizar a liberdade
Ser loucura sem vaidade
Fazer do amor impudico e verdadeiro
Ser inteiro seus sonhos de voar...

Helio Ramos de Oliveira

A Deus...

Todos os sonhos são realidades?


www.educarhelio.blogspot.com

sexta-feira, 11 de abril de 2014


PRATICA DA LEITURA – MINHA PRATICA EM SALA DE AULA    10/04/2014

Hoje tive uma enorme alegria, uma turma de 6º ano me emocionou com a presteza demonstrada em seu compromisso com as tarefas escolares, eles sempre me receberam com alegria e entusiasmo. Participam das atividades com determinação, brincamos e cantamos na aula.
Elegemos a nossa sala de aula como um lugar de aprender e se divertir, fazemos leitura, cantamos, confeccionamos textos, sorrimos, e acontecemos em nossa alegria.
As notas foram as maiores, um coletivo pensante de crianças compromissadas com seu próprio desenvolvimento, minha emoção, não me conteve e foi avisar meus colegas que estavam na sala dos professores sobre meu encantamento.
Estava emocionado ao dizer que tive o prazer de coletar as notas de meus alunos e que as notas foram todas, plenamente satisfatória, valeu por todo tempo em que desempenho meu legado em ser professor.
No ATPC (um encontro com professores e coordenador), contei sobre minha emoção pelo ocorrido e acreditei na possibilidade de mudança.
Estamos desenvolvendo a competência leitora e escritora em ciências, acredito que a pratica da leitura é transformadora, escrevemos poemas, letras de musicas, poesias sobre os textos do caderno do aluno, escrevemos, lemos, cantamos e sorrimos. É delicioso adentra nesta sala, me refaz em minhas energias.
Obrigado queridos alunos do 6º ano f.


Prof. Hélio Ramos de Oliveira

sexta-feira, 4 de abril de 2014


BRASIL!
AQUI JÁZ A EDUCAÇÃO.
É notória a falência múltipla dos órgãos, que administram a 
educação em todos os âmbitos, uma vergonhosa politicagem que 
atrapalha o legítimo processo de formação de uma sociedade, justa 
e igualitária.
As inúmeras greves de professores que não são ouvidas é apenas 
um gatilho desta imensa bomba que explodirá na formação de uma 
sociedade sem referencias.
Nosso compromisso social, já não existe como referencia. Vivemos 
uma tortura na busca de soluções para problemas impostos por 
interferências políticas na escola, que além de corromper o 
processo educacional, é impotente e tosco.
A escola deve ser autônoma em sua diversidade, fizeram da escola 
imensos albergues sem função social alguma.
Crianças, jovens e adultos que frequentam a escola nos dias de 
hoje, não possuem compromisso algum com o aprender, resultando 
em escolas destruídas nos sentidos de valor, da moral e físico.
A sociedade brasileira elegeu a escola, como responsável pela 
derrota educacional e por consequência os Professores, que sempre 
desempenharam com bravura e subsistindo com esta situação que 
só vem piorando ano a ano.
Dia desses em uma grande emissora daqui de São Paulo, ouvi o 
apresentador preocupado com os pais, que não teriam onde colocar 
seus filhos por causa da greve dos professores. Fiquei crente que o 
processo educacional esta falido, no Brasil onde qualquer um tem 
sempre uma solução mais nenhum vive o processo degradante que 
esta a escola.
A escola não é um lugar para colocar seus filhos, a escola esta 
albergando seus filhos e é por isso, que estamos vivendo esta 
violência, que é bancada pela politicagem que existe em nosso país.
A escola deve ser respeitada e sua essência de promover a 
cidadania, merece cuidada e zelo.
Abandonar a escola ou fazer de conta que ela esta sendo assistida é 
hipócrita e mentiroso.
A escola deve deixar de fazer parte de mazelas politicas e ter sua 
autonomia baseado no direito à educação e o dever em respeitar as 
instituições publicas.



Prof. Hélio Ramos de Oliveira

É preciso combater os atos de violência na escola, e 
para isso nossa união como professores e pessoas de 
bem, que escolhemos nossa profissão baseada em 
valores, tenhamos a dignidade de trabalhar com 
tranquilidade e respeito, obteremos êxito em nossa 
empreitada de educar, não devemos ser omissos em 
nossa pratica, é preciso pulso forte e fazer de nossa 
força coletiva nossa verdade.
Empregar a leis como instrumento para que se 
cumpram os direitos por dignidade e respeito.
 As leis determinam em seu principio são sempre a 
melhor forma de igualdade. CF/ 88.




Prof. Hélio Ramos de Oliveira

quarta-feira, 2 de abril de 2014



Igualdade; valor; Compromisso e Coragem - Minha pratica em sala de aula                               
31/03/2014

Neste dia participei do ATPC e após a discussão sobre RESOLUÇÃO SE Nº 20, DE 5 DE FEVEREIRO DE 1998. http://www.crmariocovas.sp.gov.br/pdf/diretrizes_p1101-1102_c.pdf Ementa: Dispõe sobre a operacionalização da reclassificação de alunos das escolas da rede estadual. Após a leitura e discussão sobre o assunto sem que houvesse um entendimento sobre os procedimentos, passamos para a leitura de um texto onde o tema central foi com base nas palavras: valor, igualdade, compromisso e coragem. Após ouvir a leitura dos recortes, comentei sobre os preceitos de igualdade, em ser a Unidade Escolar um ente que em seu principio tem a obrigação de disseminar a igualdade, deve ser seu compromisso e sua função social, agregar valores e ter a coragem de inovar para que se criem as condições necessárias para o desenvolvimento da sociedade.
Em uma de minhas aulas neste dia em que trabalhei com as palavras: igualdade; valor; compromisso e coragem. Utilizei o dicionário para que todos buscassem o significado destas palavras, e por sorte neste dia, tive aulas duplas o que favoreceu, para a conclusão da atividade empregando a competência leitora e escritora em ciências.
Terminada a busca, orientei os alunos para que eles escrevessem algo sobre sua vida, utilizando as palavras sugeridas e agora com significado.
Assim foi feito com no mínimo dez linhas.
Uma destas pessoas escreveu sobre sua vida e trouxe para que eu avaliasse seu texto, ao começar a leitura, percebi que a pessoa não sabia escrever com correção da norma culta faltando algumas letras mais foi possível com sua ajuda, entender o que ela havia relatado e fiquei neste momento com os olhos marejados de lágrimas. Sua história de vida em dez linhas havia mais tristeza, do que a minha em 46 anos, ela encontrou a coragem de falar sobre o valor do acolhimento, que a fez acreditar em mudanças e que comprometer-se com sua vida, é a parte mais importante para que haja mudanças significativas em sua vida.
Fui buscar ajuda com uma professora da sala de recursos, que sempre esta disposta a ajudar aqueles alunos com dificuldades. Apresentei para a professora a pessoa em questão e juntos, decidimos que a pessoas em questão, seria avaliada para que pudéssemos junto, acelerar sua competência leitora e escritora, pois é notória sua capacidade de entendimento das coisas da vida.
Sou professor e sinto-me impotente neste momento, como querer que a educação avançasse se crianças são violadas do direito de ser criança. É abusiva a carga que se coloca sobre o professor, fiquei triste pelo restante do dia, sem entender o que estava acontecendo.
Tantos porquês?
A ausência de estrutura do estado em tratar esta questão, a omissão dos poderes, a vergonha desta criança que tem sua infância roubada e banida de sua história, nossa sociedade violada em seu compromisso social, eu que não sei o que fazer em tratar essa situação?
A quem recorrer sem ser hipócrita e fazer de conta que tudo esta resolvido.
A escola esta agonizando e pedindo socorro contra tanto descaso, perdendo sua função social de ensinar e aprender, se voltando para o abrigar e acolher, para quem sabe, poder viver, o professor não se formou para esta função, ele esta assoberbado de tarefas, que no processo ficará perdido por estar sozinho nesta batalha que é educação.

Hoje aprendi o quanto tenho que aprender com meus alunos e com o mundo que eles vivem em silencio. 

quarta-feira, 19 de março de 2014


Uso racional da água - Minha pratica em sala de aula              19/03/2014.

Hoje começarei com uma citação.
             “O Manifesto da Água: Argumentos para um contrato mundial”, escrito pelo sociólogo italiano Ricardo Petrella (1941). Lançado no ano de 2001, inicialmente em nove países, além dos Estados Unidos e do Reino Unido. No Brasil, foi lançado em 2002, pela Editora Vozes, de Petrópolis/RJ.
A obra apresenta-se como fundamental para analisar os problemas socioeconômicos referentes à questão dos recursos hídricos em nosso planeta, além de apresentar uma proposta para a mobilização e a realização de um contrato mundial para, ao mesmo tempo, preservar a água e distribuí-la sem desigualdades. O livro esclarece as causas da escassez dos recursos hídricos e serve de alerta para os riscos de sérios problemas de falta de água que possam vir a acontecer em nosso planeta, se não forem tomadas medidas urgentes.
NOTICIA: ESTADÃO/SÃO PAULO
Alckmin vai ao Planalto e pede ajuda de Dilma para evitar racionamento em SP
Abastecimento. O governador pediu auxílio para aprovar a construção de um novo canal de 15 km que interligará o Sistema Cantareira, que registra seguidos recordes negativos de capacidade, ao Vale do Paraíba; governo federal teme rodízio durante a Copa.
BRASÍLIA - O governador Geraldo Alckmin foi nesta terça-feira, 18, a Brasília para pedir ajuda do governo federal para evitar o racionamento de água em São Paulo. No dia em que o Sistema Cantareira voltou a bater recorde histórico de baixa capacidade (14,9%), ele teve uma audiência com a presidente Dilma Rousseff (PT), no Palácio do Planalto.

Veja também:        
Utilização do volume morto será monitorada
Alckmin estava acompanhado da presidente da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), Dilma Pena. Já a presidente da República convocou a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, e representantes da Agência Nacional de Águas (ANA). Entre os assuntos tratados estava o pedido feito pelo governo paulista à agência para a construção de um novo canal de 15 km que interligará o Sistema Cantareira à Represa de Igaratá, no Vale do Paraíba - como foi adiantado nesta terça-feira à noite pelo blog Direto da Fonte. http://www.estadao.com.br/noticias/cidades,alckmin-vai-ao-planalto-e-pede-ajuda-de-dilma-para-evitar-racionamento-em-sp,1142386,0.htm
Após varias noticias, conversando com alunos do ensino fundamental II, desde o inicio do ano letivo, sobre o uso racional da água, informando sobre a necessidade de racionar, economizar cada gota pedindo, que se formasse uma corrente de informações sobre a utilização inteligente deste recurso, dando como exemplo o projeto “cisternas urbanas para capitação, reuso de água e redução de enchentes”, feito por uma aluna do ensino médio a qual eu orientei, concorrendo ao premio jovem cientista de 2013, passando para segunda fase o que deixou a todos os envolvidos orgulhosos pelo êxito.
Hoje ao chegar atrasado à escola percebi que uma mangueira estava sendo colocada para que o pátio fosse lavado e fiquei intrigado com o absurdo, um desatino por ser uma escola do Estado de São Paulo e estar situada na região metropolitana, que é abastecida pelo Sistema Cantareira mencionado na noticia de ontem, além de ir contra todo meu trabalho de informação e formação. Fui de encontro à gestão desta escola e perguntei:
-porque a escola estaria sendo lavada com mangueira se a região esta passando por um racionamento de água?
Ouvi.
Não tem água professor?
Não sabia!
Esta informação é nova?
Não tem água na torneira?
Pensei.
Ironia ou descaso?
Ou os dois?
Disse:
- estamos em um momento de racionamento no estado
Ouvi
Professor se há água na torneira a escola ira ser lavada!
Disse:
-então o que ensino na sala de aula, não serve para a gestão da escola e sai perplexo.
Lavar a escola com mangueira, em pleno momento de economia de água é irracional, esta mesma escola passou no ano de 2011, seis meses sem água no período vespertino, a escola era limpa utilizando baldes, e naquele momento o que corria, eram apenas problemas no encanamento, conseguimos transpor os problemas usando a água de forma racional e eficiente.
Fiquei me corroendo e pensando.
Por que existem pessoas que estão no poder e outras que tem o poder, senti-me derrotado por estar impotente e não ter conseguido aplicar meus ensinamentos, naquele momento toda a retorica foi por terra perante toda a comunidade escolar.
Nesta tarde, continuei em minhas aulas reforçando a necessidade de economia de água, que mesmo fazendo parte de minha pratica diária como ser humano consciente, percebi que estarei sozinho nesta luta, construindo uma educação de areia, que quando estiver construindo vêm às enxurradas de ignóbeis e destroem toda a plantação, por estarem alheios e não fazendo parte do todo.

 Chegou ao final da tarde uma chuva caia me refresquei antes de entra no carro, com uma sensação de derrota que foi aliviada por um “até amanhã professor”, de uma criança que me fez pensar o quanto ela é importante para que haja uma mudança de atitude e pratica pessoal.




Prof. Hélio Ramos de Oliveira

quinta-feira, 13 de março de 2014


Substituição - Minha pratica em sala de aula                               13/03/14

Hoje, em aulas de substituição da disciplina de português, trabalhei com valores, protagonismo e empreendedorismo, ao conversar com alunos do ensino fundamental II, do 6º ao 8º ano sobre suas peripécias.
Começamos pelo significado da palavra, “peripécia = s.f. Circunstância ocasional que intercorre inesperadamente em alguma situação; incidente; episódio; aventura.” http://www.dicio.com.br/peripecia/
Falamos de como um livro acontece, da diversidade de ideias que existem em cada fazendo parte do livro de sua vida, propus que deveríamos escrever nossas histórias a partir da leitura que cada um faz do mundo em que vive. Muitos sorrisos se formaram, quando algumas histórias foram contadas, começando pelas minhas “de quando menino dormia no galho de uma goiabeira, observando as nuvens, sonhando... correndo o risco de cair do galho e me arrebentar no chão”.
Diversas histórias foram relatadas e experiências divididas, orientando para que escrevessem em seu caderno de produção de textos resgatando suas historias escrevendo e dando vida a cada letra.
Estaremos preparados para desafios de literatura, participaremos de concurso de escrita com nossos textos seremos empreendedores de nossa criação que é espontânea e sempre será incompleta.
Terminamos a aula com sorrisos de encantamento, alguns disseram que iria escrever um livro com suas histórias, percebi que nestas aulas uma semente caiu em solo fértil, à leitura e a escrita, de vidas que iniciam avidas por saber, sem saber como saber mais.

A educação anda confusa com os desmandos políticos que despreza por completo a criação de um clima favorável para que a violência, o desrespeito diminua criando um ambiente que possibilite um bom desempenho escolar.

domingo, 9 de março de 2014


Mércia Ferreira

Ouvi pelo vento que havia um barulho onde se desenvolvia gente
Descobri que havia gente que lapidava as sementes
Cultivares de flores que farão o desabrochar
Fui feliz e contente pra verificar

Caminhei ao encontro da possibilidade
Percorri com carinho o tempo e destino
Feliz como um menino que iria brincar
Encontrei uma mulher que semeava sorrisos

Acolheu-me generosa apresentando um norte
Criar um ambiente onde toda semente possa germinar
Plantamos juntos os sonhos que se formaram árvores
Almas soltas para o sempre voar

Misericordiosa em sua simbologia
Mércia Ferreira que forja em almas
A certeza que é possível unir
Seriedade ao brincar e amor ao agir

Uma obra singela com nobreza e espirito
Representando os anseios de quem quer progredir
Tantas são as etapas e cada qual com suas certezas
Alcançar o sucesso esta sempre ao sorrir

Fazendo da amizade o adubo pulsante
Regar com as lágrimas do comprometimento
Ver que brota do espirito a inovação
Refazendo a alegria de participar da emoção

Dirigir tanta gente
Ser presente
Colher sorrisos de amor
Que seja sempre feliz por onde for




Hélio Ramos de Oliveira

terça-feira, 4 de março de 2014


Escolas particulares de São Paulo se renovam e tentam conectar currículos ao cotidiano. Aulas de educação financeira, inteligência emocional e empreendedorismo são ministradas ainda na pré-escola. Veja mais em: http://oesta.do/1mQ0jLM
Foto: Rafael Arbex/ Estadão

Lembro quando comecei a lecionar para o ensino médio isso em 1995, no Colégio São Bernardo e lá tínhamos projetos de empreendedorismo, feiras tecnológicas, feira de profissões e tantos outros incentivos aos alunos e no mesmo período também fui professor de escola pública estadual pude perceber que nada acontecia de motivador nem para alunos nem para professores e solitariamente comecei meus projetos com alunos motivando e construindo um novo pensar na educação tanto minha como de meus alunos.
Ouvi varias criticas e fui muito desacreditado em meu estilo de ensinar na escola pública mais por outro lado recebi apoio da escola particular o que me fazia acreditar sempre mesmo eu tendo falhas com registros o acontecer em sala de aula e o comprometimento dos alunos da escola particular e seus familiares que participavam de forma criativa e critica me proporcionou levar em frente meus projetos de ensinar de forma contemporânea.
Hoje, tenho 23 anos trabalhando com educação desde o ensino superior, ensino médio e o ensino fundamental II a qual tenho gosto em ensinar por haver um comprometimento surpreendente em querer aprender cada vez mais.
Atualmente trabalho com ensino fundamental II e ensino médio em escola pública “estadual e municipal”, um trabalho isolado acontece sem que os ensinamentos tenham propósitos para os alunos que não veem a luz no fim do túnel da educação politizada e imposta sem que haja uma leitura de mundo. A escola publica, são cegas, mudas e surdas, não se comprometendo por conta das conjunturas politicas, que em seus mandos e desmandos possibilita uma instabilidade educacional que desestimula a complementação dos trabalhos realizados, matando o interesse de todos os entes da unidade escolar.
Na atualidade o que se pensa em escolas e cumprir com as demandas da sociedade e nessa demanda não esta o aprimoramento das instituições haja vista as condições deploráveis prédios que apenas abriga crianças, jovens e adultos, sem que haja nenhum comprometimento em educar de forma contemporânea e causando um mau - estar entre sociedade e profissionais da educação que diferente de outros profissionais lutam pela dignidade de trabalhar em condições mínimas de direito.
Escolas são feitas de qualquer forma sem que haja um estudo digno respeitando as normas da OMS – organização mundial de saúde, as fiscalizações em escolas particulares são constantes e punitivas ao passo que nas instituições públicas são inexistentes por estarem sobre efeito da mesma politica de demandas e que nunca poderão geral uma punição, pois esta estará atrelada a votos para o próximo mandato.
Como implantar uma consciência de desenvolvimento humano sem que haja um exemplo de façam às crianças e os jovens acreditar que é possível.
Inovação!
Por isso a educação particular se sobressai.
Estagnação!
Por isso as escolas públicas não cumprem sua função social
A politiques atrapalha as inovações adoecendo professores e alunos.

Este é um custo alto de nossa sociedade e um lucro fácil para as escolas particulares que pensam e fazem educação.