Follow by Email

domingo, 22 de março de 2015


Greve não deveria ser apenas dos professores

Existe um grave equivoco em acreditar que a greve deve ser dos professores, o maior interessado em melhorar a educação deveria ser a sociedade, pois é ela a maior prejudicada com os desmandos equivocados que faz de nossa educação uma das piores do planeta.
É notório no Brasil, que ser analfabeto é fazer parte de uma maioria o que faz aceitar essa condição. Estar alheio as possibilidades existentes no mundo não interfere nas conquistas, mesmo que limitadas, são conquistas que elevam a aceitação de que estudar não é assim tão importante.
Existe um pensar que faz acreditar que por ter alcançado o nível superior, esta já é uma conquista, pois seus pais não tiveram essa possibilidade é simplista aceitar essa condição como conquista, ela deve ser uma oportunidade que um país, necessita prover para a sociedade.
Quando os professores se prontificam a entrar em greve é que as condições oferecidas aos alunos e a eles mesmos estão com uma carga muito grande sobre a realidade que vive a escola.
Aos políticos existe apenas um custo e o interesse em se promover para as próximas eleições, mas para os profissionais da educação compromissados com o desenvolvimento de uma sociedade é sabido, que os moldes que balizam a proposta educacional, estão equivocados e que a pseudo-autonomia dada as unidades educacionais, não se ajusta a realidade em que vive a educação brasileira.
Nossos políticos educam com seu exemplo corrupto e inescrupuloso, e isso faz com que a sociedade desacredite no modelo de justiça e ordem, a violência se espalha pela juventude, o ilícito começa a ser a regra, os responsáveis não mais se responsabilizam deixando para que a escola responda pelos atos ocorridos em seus corredores e até no seu entorno, ou seja, a carga de responsabilidades seja gigantesca e o que ensinam com base de justiça seja ridicularizado e quando um professor que ouve de um aluno, que ele recebe mais sendo do crime, que o professor que ganha pouco e nunca terá nada além de ser ridicularizado pelo governador.
Aqui em São Paulo, nosso governador que foi eleito em primeiro turno, cortou verbas da educação, chamou a manifestação de greve dos professores de novela.
Uma associação de professores partidarizada com interesses espúrios que não representa as reais necessidades dos professores.
Um professor que não se sente parte da sociedade e esta cansado, e para conseguir manter-se economicamente em sua escolha que é o magistério necessita de trabalhar em dois cargos.
O governo entende e ao invés de melhorar o salario do professor para que melhore a qualidade do ensino ele governo massacra o professor oferecendo dois cargos e nenhuma melhoria para que ele possa melhorar seus conhecimentos e assim consecutivamente as aulas, o professor é um ser maldito tanto pelo estado, como pela sociedade e por incrível que pareça pelo próprio professor, isso acontece pelo desespero constante que o professor vive para exercer sua profissão com orgulho e mérito.
Dia deste, ouvimos um jornalista falar com propriedade sobre a realidade que o professor do estado de São Paulo vive e logo foi aclamado como um salvador, pois nem mesmo a mídia que deveria estar próxima da educação se mantem omissa.
Muitos balbuciam melhorias para a educação e muitos ganham, com estas condições vergonhosas.
A greve deve ser da sociedade, em cobrar do governo, que faz com que a novela, seja repetida sem que ele tome a providencia em melhorar as condições dos professores e assim da sociedade.
O professor não é um profissional qualquer, ele requer cuidados, pois com ele países conseguiram excelentes resultados, mas sem ele o caos de uma sociedade é iminente.



Prof. Hélio Ramos de Oliveira - 2015