Follow by Email

sábado, 4 de julho de 2015



Formação de professores é distante da realidade dentro da sala de aula, aponta estudo

03 de julho de 2015
Documento do movimento Todos Pela Educação mostra deficiências no setor

Fonte: O Globo (RJ)
http://jorgewerthein.blogspot.com.br/2015/07/formacao-de-professores-e-distante-da.html?spref=tw&m=1



Resultados preliminares de um estudo divulgado nesta quinta-feira apontam que há uma grande distância entre a formação dos professores brasileiros e a realidade vivida dentro das salas de aula.
Comandado pelo professor e pesquisador em administração pública e governo da Fundação Getulio Vargas (FGV), Fernando Abrucio, a pesquisa diz que é preciso melhorar três pontos, chamado tripé de formação dos professores: relação entre as universidades, as redes de ensino e as escolas e a profissionalização da docência.
O estudo analisou 72 textos de revisão bibliográfica da área, entre artigos, capítulos, livros, dissertações e teses, primordialmente estudos sobre a realidade nacional.
— Nós temos que ver mais claramente que professor é uma atividade profissional e para isso existem técnicas e instrumentos. Esse debate ocorre em todo mundo e no Brasil ainda caminha lentamente. É preciso fortalecer as disciplinas vinculadas à didática e metodologia, é preciso que essas disciplinas se fortaleçam também nos diversos campos de saber e é preciso fazer com que essas metodologias dialoguem com a realidade. Não faz sentido a discussão entre separação de teoria e prática, que muitas vezes aparece na bibliografia. O que corre é que as teorias hoje sobre atuação dos professores no Brasil pouco dialogam com a atuação empírica dos próprios professores — explicou Abrucio, em videoconferência no lançamento do relatório do movimento Todos Pela Educação (TPE).

O estudo faz parte do relatório “De Olho nas Metas 2013-2014” divulgado hoje. Conforme divulgado pelo GLOBO, os dados mostram que o Brasil não atingiu quatro das cinco metas de educação.
— É preciso olhar paro o percurso todo da educação e propor para cada etapa uma politica publica especifica — afirmou Alejandra Meraz Velasco, coordenadora-geral do TPE.
Abrucio aponta ainda que a pequena produção sobre a metodologia de ensino representa o lugar secundário que a área da didá tica tem nas grades curriculares dos cursos de pedagogia e nas licenciaturas. “Como afirmado nas entrevistas, tanto em termos de ensino como de investigação, a reflexão dos estudiosos sobre educação no Brasil, especial -mente na pedagogia, ‘concentra-se mais no o quê ensinar do que no como ensinar’”, ressalta um trecho da pesquisa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário